terça-feira, 11 de julho de 2017

AMAR...



Foto de Oleg Kosirev


Amar!


Eu quero amar, amar perdidamente! 
Amar só por amar: Aqui... além... 
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente... 
Amar! Amar! E não amar ninguém! 

Recordar? Esquecer? Indiferente!... 
Prender ou desprender? É mal? É bem? 
Quem disser que se pode amar alguém 
Durante a vida inteira é porque mente! 

Há uma Primavera em cada vida: 
É preciso cantá-la assim florida, 
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar! 

E se um dia hei de ser pó, cinza e nada 
Que seja a minha noite uma alvorada, 
Que me saiba perder... pra me encontrar... 


Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"

34 comentários:

  1. Um dos mais belos sonetos que conheço.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Elvira,

      É belo sim, cheio de enigmas para desvendar!
      Ora... como eu adoro enigmas, este poema "cai-me como uma luva"! :))


      Beijinhos bem vestidos
      (^^)

      Eliminar
  2. A tua imagem é extremamente erótica, porém o poema da Florbela Espanca é isento de qualquer tipo de erotismo.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa,

      Eu tenho uma "paixão assolapada" por esta foto e já a usei mais do que uma vez.
      Confesso-te que não era bem esta fotografia que eu queria usar... mas a questão é que não encontrei a que pretendia. Mas se a encontrar ainda a troco.


      Beijinhos poéticos
      (^^)

      Eliminar
  3. Guardaste o meu 1° comentário?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa,

      Guardei :)
      Enviei-te mail a explicar!!

      (^^)

      Eliminar
    2. Já o li como também já te respondi 😘

      Eliminar

    3. Teresa, aqui está o teu comentário que fizeste às 20:29

      ematejoca 11/07/17, 20:29

      Pois bem, o Rui complicou de tal maneira o desafio (deitou demasiada pimenta ao tema) que vi a impossibilidade de se tratar deste belo, mas inofensivo poema.

      Eu até pensei no erótico Marquês e na famosa Justine.

      Eliminar
    4. ematejoca

      Depois de leres a minha re-edição, com a minha "opinião pessoal" justificada, diz por favor se continuas a pensar que é inofensivo (no sentido de inocente), com pimenta a mais e de "amor convencional" ! :)

      Eliminar

    5. Teresa,

      O Rui acabou de reeditar o desafio dele e já podemos ir ver na reedição a sua interpretação do soneto.

      (^^)

      Eliminar
  4. Clico na lista de leitura e qual é o primeiro post da lista? “AMAR”!

    Qual é o post que vejo primeiro? “AMAR”!

    Terá este poema a ver com o desafio do Rui?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Catarina,

      Tenho este post agendado desde a semana passada... e o post do Rui apenas saiu ontem...


      Beijinhos cheios de coincidências
      (^^)

      Eliminar
    2. Acredito em coincidências. A minha pergunta serviu apenas para “pescar” uma dica!

      Eliminar

    3. Entendi perfeitamente! :))

      Eliminar
  5. Ohhhhh, a minha "musa" das palavras bonitas.
    A mim também me serve a "luva!
    E amemos, pois então!
    Mimos amorosos;)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Esmeralda,

      Acho que te "cai bem" sim... e ainda por cima tu também gostas de enigmas como eu...


      Beijinhos cheios de mimos
      (^^)

      Eliminar
  6. Não sou nada de poemas, devo confessar mas dos que gosto gosto mesmo a sério e este é um dos meus preferidos!
    Amei!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Papoila,

      Florbela é minha companhia frequente quando deambulo pela poesia.
      Não vou esconder o que é evidente, que é a poesia que tem beleza e erotismo a que mais me fascina.
      (tenho saudades de escrever os meus "rabiscos")


      Que bom que gostaste!
      Beijinhos satisfeitos
      (^^)

      Eliminar
  7. Sempre que leio este soneto arrepo-me.

    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Gi,

      Pele de galinha mesmo?
      Então se acompanhares esta poesia com ESTE tema... então é que vais sentir "chills" :))


      Beijinhos arrepiados
      (^^)

      Eliminar
  8. De onde é que eu estou a conhecer isto :) !!! Este poema da Florbela Espanca é soberbo !

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ricardo,

      :)
      De muitos sítios...
      Este poema é dos mais apreciados de Florbela, curiosamente tenho outros poemas dela aqui nos Jardins e só hoje tocou a vez deste.

      Hoje não quis colocar música para não "ofuscar" este momento poético... mas se quiseres companhia musical, vai ali espreitar a música que ofereci à Gi.


      Beijinhos musicais
      (^^)

      Eliminar
  9. Um tema deveras maravilhoso " Um dos meus preferidos, Afrodite !
    ... E um tema que dá muito que pensar, que tem muito que se lhe diga !!! ...
    MARAVILHOSO !!! ... Adoro esta mulher, pelo que foi, pelo que escreveu de tão belo e tão difícil "de expor", para a época em que viveu, em que a mulher estava abaixo de cão nos seus direitos de mulher !...Por isso ela sofreu tanto !!!
    É preciso ter isso em conta ! "Expor-se assim, constituia uma verdadeira afronta para a sociedade de então !... Imagine-se !
    Ela teve essa coragem e foi considerada "mulher vagabunda"! :( Outros tempos ! :(

    Gostei de ver este soneto aqui !!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rui,

      Obrigada!
      Foi uma feliz coincidência termos pensado neste tema em datas tão próximas.

      Quanto à Florbela, podíamos estar aqui tempos sem fim a falar sobre ela, sobre a sua vida e obra... que o assunto não se esgotaria facilmente.


      Um beijinho... (e agora vou ler a reedição do teu desafio)
      (^^)

      Eliminar
  10. Na altura devia ter sido considerada uma mulher “escandalosa”. Casou 3 vezes; viveu com outro alguém enquanto ainda estava casada; poemas eróticos... Não viveu uma vida muito feliz... o que resultou em neurose. Pessoas que nascem “fora de época”.

    A História está cheia de talentos/génios incompreendidos e pouco valorizados ao longo da sua, por vezes, curta vida.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Catarina,

      Tão verdade!!
      Quantas vezes acontece que só depois da morte é que se dá o devido valor às pessoas e às suas obras!?

      Quanto à vida dela e quanto ao seu verdadeiro "eu", só ela conheceu. Não faltam "verdades" que se dizem sobre alguém ,que já não está cá para se defender, e que nem são verdades!


      Beijinhos com verdade
      (^^)

      Eliminar

  11. Gábi, aqui está o teu comentário que fizeste ontem às 23:53


    redonda 11/07/17, 23:53

    Engraçado depois de achar que tinha conseguido finalmente chegar à resposta no desafio do Rui também pensei em "postar" este poema :) devia ter vindo logo aqui primeiro :)

    um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Gábi,

      Isto foi uma "maroteira" que eu fiz com o consentimento do Rui... porque eu tinha agendado este post para ontem... mas podia tê-lo adiado!
      Mas pedi-lhe a opinião... e optamos por "deixar correr o marfim"! :)


      Beijinhos e obrigada pela compreensão
      (^^)

      Eliminar
  12. Imortalizado num fado lindíssimo. Gostei.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Jaime,

      Bem vindo aos meus Jardins :)
      Confesso que gosto muito mais do poema do que do fado.


      Beijinhos
      (^^)

      Eliminar
    2. Estou a iniciar-me nestas andanças de seguir um blog. E estou a gostar.
      Parabéns pelos seus blogs e postagens.

      Eliminar

    3. Estar na Blogosfera não é como abrir um diário e escrever coisas só para nós. Para isso então escrevia-se mesmo num diário! :)
      A Blogosfera é convívio, é troca de ideias... e só comentando outros blogues chamamos pessoas para lerem o que nós escrevemos.


      Obrigada e se precisar de dicas, é só dizer
      (^^)

      Eliminar