quarta-feira, 5 de agosto de 2015

PARA SEMPRE...


Nem todos os amores são para sempre... 


Trabalho de Lauri Blank



 ... mas também os há para os quais toda a eternidade não chega!


a ouvir... 
Yiruma - «Falling in Love»

34 comentários:

  1. Respostas

    1. Cláudio

      Para te dizer a verdade... dá uma trabalheira ser Deusa do Amor... :))


      Beijinhos para um dia
      (amanhã arranjam-se mais)
      (^^)

      Eliminar
  2. Sim... os dos romances! : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bravo! Isso é verdade.
      Só esses.
      E agora a tendência é para até esses terminarem de forma trágica ou incomum.

      Eliminar

    2. Catarina

      Sim, os dos romances e os da História, que são eternos enquanto houver memória deles.
      Este post serve de "rampa" para eu voltar àquela rubrica que comecei há tempos e que pretendo dar continuidade, das grandes histórias de amor.
      Vou seguir o teu conselho e continuar com o amor de Pedro e Inês.


      Beijinhos sem tragédias
      (^^)


      Eliminar

    3. Portuguesinha

      E como li no blogue da Ni... já nem o amor da Miss Piggy e do Sapo Cocas é eterno...

      Conservemos o bom humor :))

      Eliminar
  3. Há amores que não passam da fase embrionária. Penso eu de que.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. António

      E pensas bem.
      Mas olha que esses, o da fase embrionária, são sempre os mais intensos... talvez porque aí só exista paixão e encantamento!


      Beijinhos pensadores
      (^^)

      Eliminar
  4. Once again, you introduce me to new discoveries . . .
    the amazing illustrations of Lauri Blank (a beautiful Art Nouveau style),
    and the piano of Yiruma.
    Wow. Both so nice.
    Thank you.
    Ciao, Bambino . . .

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rick

      It's really pleasing to know that you liked it.
      Lauri's paintings are beautiful and graceful... and Yiruma song's are gentle and caring. The mix, for me, is perfect.


      Smiling kisses
      (^^)

      Eliminar
  5. Estimada Madrinha Poderosa Afrodite.
    Que deleite adentrar nos teus sempre bem cuidados e perfumados Jardins e sentir que também está repleto de amor.
    Caloroso abraço. Saudações amorosas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    PS - Saudades de ti.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Professor João Paulo

      Como disse ainda há pouco ao comentador que estreou a caixa de comentários, ser Deusa do Amor é uma canseira... :))
      Se não fosse a paixão que tenho por este meu cantinho e por ter grande consideração por todos os amigos que me dão a honra de me visitarem nos meus Jardins, já teria provavelmente desistido deste projecto.


      Beijinhos saudosos
      (^^)

      Eliminar
  6. Dá-me exemplos.
    Dá-me exemplos de amores que são eternos. Não, espera. Isso não podes fazer. Ninguém vem da eternidade para confirmar que continua a existir um amor (carnal) por outro.
    Dá-me um exemplo de um amor entre homem e mulher que dure "uma vida inteira". Como amor. Carnal. Não um amor de tolerância, hábito e convívio, mas um de admiração, de companheirismo, de prazer ao estar com o outro.

    Uma vida inteira? Começando na juventude e terminando na idade avançada?
    Não acredito

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Portuguesinha

      Há dias li um pequeno TEXTOdo poeta e escritor brasileiro Augusto Branco onde, entre outras coisas, ele dizia «Eu acredito em amores eternos, daqueles que vão com você para qualquer lugar, não importando o quão distante você esteja, por que a pessoa amada reside em seu próprio coração.»

      Claro que esta frase que escrevi é de certo modo metafórica e defende uma visão poetizada do amor eterno.
      Para te dar exemplos concretos (e que não sejam os tais amores dos romances) teria de pesquisar para te falar daqueles casais que não conseguem mesmo viver um sem o outro ao ponto de um morrer logo a seguir ao outro.

      Mas estás no teu direito de não acreditar! :)
      Conforme anunciei ali mais em cima à Catarina, vou retomar uma rubrica sobre os grandes romances da História e da ficção... pois continuar a falar deles (sejam eles reais ou ficcionados) é uma forma de os "eternizar".


      Obrigada pelo comentário
      Tudo de bom para ti
      (^^)

      Eliminar
  7. O amor não tem tempo de duração
    se acaba, não era
    se continua, vai sendo

    (a eternidade é uma treta)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rogério

      A eternidade é a unidade de medida da memória... e a memória pode ser até a das pedras, que enquanto a erosão não as desfizer num último grão de areia, perdurarão.


      Beijinhos utópicos
      (^^)

      Eliminar
  8. amiga Afrodite, se dá para escolher, prefiro estes:

    "..os há para os quais toda a eternidade não chega"!
    beijocas
    até amanhã, se possível assim no aconchego dos lençóis de linho :)
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Angela

      Eu também prefiro os segundos... mas eu sou suspeita para dar opinião, ou não me chamaria "Afrodite"... hihihihi


      Beijinhos... mas prefiro de seda e não de linho
      (^^)

      Eliminar
  9. As paixões devem ser vividas intensamente e duram enquanto o são. Os amores podem durar para sempre !
    Tal como os discos existe um lado A, um lado amoroso, onde as pessoas se revelam uma à outra. Existe, também um lado B, onde as pessoas se provocam uma à outra, onde carnalmente se misturam. Ambos os lados se complementam !!!

    No fim as definições não são assim tão importantes, é mais uma maneira de identificar as coisas. O essencial é que demonstremos ao outro aquilo que sabe bem estar ao pé dele !

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ricardo

      Gostei imenso do teu comentário e da analogia ao amor Lado A e Lado B.
      E claro que concordo totalmente contigo.

      Lembrei-me de uma passagem que li hoje (e com a qual também concordo) escrita por uma jornalista que defendia que «um casamento de sucesso requer se apaixonar muitas vezes sempre pela mesma pessoa». De facto, enquanto tivermos a capacidade de nos continuarmos a apaixonar pela pessoa que amamos, o amor perdurará.


      Dois Beijinhos
      (^^)

      Eliminar
  10. Será que o amor é mensurável dessa forma? Para sempre e eterno são opostos a transitório e efémero, quando se fala de amor? Enfim,uma discussão que dá pano para mangas... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teté

      Como já tive oportunidade de referir mais acima, eu usei os conceitos de amor eterno e de eternidade numa visão poetizada e de certa forma até metaforicamente.
      Chamar eterno a um Amor não será mais no sentido que que ele é duradouro... significativo... verdadeiro...?
      É tal qual dizes, dava pano para mangas...!!


      Beijinhos bem costurados
      (^^)

      Eliminar
  11. Acredito nos amores eternos.
    Porque sou romântico?
    Talvez....
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Todos os amores são eternos, enquanto duram :)

    ResponderEliminar
  13. A eternidade do amor...há lá coisa mais romântica!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Um tema sempre controverso (até visível nos comentários anteriores), para o qual cada um encontra argumentações bem diversas !
    Por mim, acredito na temporalidade, desde a paixão e encantamento fugazes, até ao de uma vida, o tal para sempre e claro, também ainda, o tal amor eterno, não o vivido enquanto se vive, mas o que é perpetuado nos romances ou pela História !

    ... Diria mais, que não há um só tipo de intensidade de amor ! Ele varia, para além do tempo, também no grau (intensidade) !

    Acredito ainda que pode não haver apenas "um amor" !
    ... Se "amar", é gostar muito (das coisas e das pessoas e até da vida) eu sou obrigado a aceitar que "gosto muito" e em diversos graus, até de todos os meus amigos e amigas !
    ... Ou estaremos apenas a falar daquele tipo de "amor / casamento" ? ...

    Como já alguém disse antes, este é um tema sem "conclusões" à vista e que daria muito pano para mangas !

    eheh... mas destas coisas de "Amor" qual melhor que a opinião de uma Deusa ? ... rsrs

    Beijinhos confusos ! :))

    ResponderEliminar
  15. Mas a preocupação de quem ama será mesmo o tempo que esse amor vai durar?
    É verdade que numa paixão não há tempo para se pensar no tempo; quem ama pensará (ou não) se e quando a chama começar a perder fulgor.
    Para além disso a "eternidade" e o "sempre" são conceitos relativos, como de resto é tudo na vida.
    Neste teu jardim deixo-te um canteiros de beijos com sorrisos!

    ResponderEliminar
  16. olá Afrodite, que calor, nos teus jardins também?!
    difícil pensar estar enroladinho nessa maneira... onde para a chuvinha ?
    beijocas
    Angela

    ResponderEliminar
  17. À amores que uma eternidade não é demais.
    Gostei da musica.
    Um abraço e bom Domingo.

    ResponderEliminar
  18. Claramiga

    Cantava a Madalena Igléias:

    O amor tem destas coisas
    inaudiitas, tão esquisitas
    que não têm explicação;
    hoje agrada, logo enfada
    e ninguém percebe nada
    das coisas do coração


    Tu não te deves lembrar da Madalena, muito menos da canção e muitíssimo menos da letra. Mas para um cota como eu era e é linda tão linda como tu

    Bjs da Kel e qjs do Leãozão

    ... não quero chatear-te; mas perguntar-te apenas - quando vais à TRAVESSA???

    ResponderEliminar
  19. O amor é um pássaro. Voa quando menos se espera ou, então, faz ninho e fica.

    Beijos, Deusa do Amor. :)

    ResponderEliminar
  20. Que belo pensamento!
    Que grande verdade!

    ResponderEliminar
  21. Deixo votos de bom fim de semana Afrodite! que o amor cresça sempre nos teus jardins
    e que os abracinhos enfeitem todas as plantinhas e todos os arbustos!
    até breve
    Angela

    ResponderEliminar
  22. Como eu concordo com este pensamento!!!
    Muito bem escolhido, Frô!!!!

    ResponderEliminar