sábado, 31 de janeiro de 2015

AMORES CLANDESTINOS...


(post reeditado)       

Foto da Net



              Um amor clandestino é um amor que nunca acaba
              É um amor de quarto, cozinha, sala e vão de escada
              É um amor que chora e grita a plenos pulmões
              Anseia, deseja e quer, sem submissões.

              É um amor de dois amantes, secreto e louco
              Que não tem nada a ver com a palavra pouco
              É um amor de palavras, de gestos e de ternuras
              E que muitas vezes transborda em mil loucuras

              Esse amor é um amor sussurrado ao ouvido
              Um amor que preenche os corações de quem o sente
              Um amor que se faz sentir sempre presente
              Mas que tantas vezes é um amor sofrido.

              Ele é também um amor de esperança
              Um amor que convida para uma dança
              Uma dança a dois todo ele entrega e sem pudor
              Grande, puro e belo é assim todo o AMOR.




a ouvir... 
Leonard Cohen - «In My Secret life»

65 comentários:

  1. Esta coisa parva do amor...
    Porquê??
    Seria tão mais fácil sem ele, não?
    Mas não! tinha que aparecer o amor, para nos dar cabo do juízo!
    Mania de sermos diferentes...

    O Leonard? sou fã!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leão

      Até podia ser mais fácil... mas não teria piadinha nenhuma.


      Beijinhos e boa semana meu querido
      (^^)

      Eliminar
    2. Já tenho dúvidas...
      Mas concedo o benefício! :))

      Obrigado, o mesmo pra ti minha querida Afrodite! ;)

      Eliminar
  2. Bom dia Amiga...
    Que lindo...Parabéns.

    jinho secreto:)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Suricate

      Obrigada pelo teu carinho minha linda!


      Uma beijoca e um belo dia para ti
      (^^)

      Eliminar
  3. Sim, é assim o amor "Uma dança a dois todo ele entrega e sem pudor". Adorei!
    Beijinhos Diana

    ------------------------------------------
    Vê o comenta o meu blog: dianasexqueen.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Diana Silva

      Obrigada pelo comentário :)

      Tudo de bom para ti!

      Eliminar
  4. O amor clandestino tem a tendência a ser de curta duração. Será paixão mais que amor e essa desaparece.
    Mas que dá para aquecer numa noite ou dia de inverno, dá! : )

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Catarina

      Um amor clandestino pode também ser um amor nunca confessado.
      Até porque todos os amores, na sua fase embrionária, são clandestinos... até que chegue a hora de serem declarados.

      Beijinhos de sol
      (^^)

      Eliminar
  5. A clandestinidade pode ser um apimentar extra.

    Beijinhos Marianos! :)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Maria Eu

      Mas também se pode arranjar um valente de "um cozinhado"!


      Spicy kisses
      (^^)

      Eliminar
  6. Gosto mesmo muito dos teus poemas eroticos, AFRODITE!

    Bem preciso de um amor clandestino para me aquecer nos meses mais frios do ano.

    Abraço da amiga de longe, sem amor clandestino e sem computador. Que chatice!!!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa

      Obrigada Amiga! Até fico toda vaidosa :)
      Mas olha que todos os amores são quentes... o que é importante é continuarmos a alimentar adequadamente o nosso amor de sempre.


      Beijinhos perto do teu coração
      (^^)

      ps: faço votos que a situação do computador se resolva rapidamente e com sucesso!

      Eliminar
  7. O amor mais cúmplice
    Em que as palavras perdem importância
    Mãos entre mãos,
    Beijos fugidios, fugazes
    Uma provocação
    Uma tentação,
    Um desespero
    Uma paixão.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Cantinho

      Deixaste-me com um enorme sorriso ao ler as tuas palavras!
      É lindo o que escreveste... e tão verdadeiro!


      Beijinhos cheios de cumplicidades
      (^^)

      Eliminar
    2. Respondo agora de outra forma, visto que este post já tem mais e um ano.

      Não acaba, não, afastados fica a recordação
      Um amor que não escolhe hora, lugar, posição
      Um amor que grita sim, no interior silencioso dos pulmões
      Um amor submisso, sem submissões

      Um amor de dois amantes, discreto, sensato e louco
      Em que o muito é muito pouco
      Um amor de palavras soltas, desconexas,
      De gestos, de gemidos e ternuras
      Loucuras mil, que não têm fim

      Amor sussurrado no calor de um beijo
      Um amor sentido
      Um amor sofrido
      Sempre presente no mais ínfimo desejo.

      Uma esperança que não finda,
      Na dança de um desejo incontrolável
      Sem pudor, e sem medo
      São dois os amantes clandestinos
      Grande, puro e belo é assim todo o AMOR.

      :)


      Eliminar
  8. Clandestino tem mais tempero :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Pedro

      Não sei se terá mais tempero ou não... mas terá de certeza um tempero diferente :)


      Beijinhos com o condimento certo
      (^^)

      Eliminar
  9. O fruto proibido é o mais apetecido!!!

    Magnífico poema! Adorei!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Elisa

      Dizem que sim, que o fruto proibido é o mais apetecido... mas felizmente não será sempre!
      Obrigada pela força querida amiga!


      Beijinhos poéticos
      (^^)

      Eliminar
  10. Uma paixão, tal como as tuas palavras!
    Gosto de ouvir o Leonard.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Adélia

      Que bom saber mais um gosto comum que temos. Gosto muito não só da música mas também da voz quente e grave de Leonard Cohen.


      Beijinhos apaixonados pela vida
      (^^)

      Eliminar
  11. Antes de mais, parabéns pelo poema !

    Amor clandestino, … um tempero apimentado numa “relação perigosa”, “secreta e louca”, tornado “num amor sofrido”, pela “distância” !
    Mas o “perigo” torna-se num incentivo extra ! … a loucura e o sofrimento, “obrigam” ao risco !
    O amor,… quando intensamente “belo e puro” a tudo se rende ! … mesmo a areias movediças !

    Um abraço, grande, puro e belo, (não) clandestino! :)))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rui

      Afinal tu também fazes poesia!
      Que comentário lindo!! :))

      Beijinhos puros no teu abraço
      (^^)

      Eliminar
  12. Tens tanto jeito, minha nossa. E como concordo, como.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Diana

      Obrigada minha querida!
      Um dia destes escrevo um poema para ti em jeito de acróstico, como eu tanto gosto de fazer.


      Beijinhos prometidos
      (^^)

      Eliminar
  13. Respostas

    1. Ricardo

      Adulas-me com as tuas palavras...
      Mas sabes qual é o segredo? O segredo é ter a inspiração certa!

      Adorei a música! Sou fã confessa da Melody Gardot!


      Beijinhos melodiosos
      (^^)

      Eliminar
  14. Porque razão um amor assim, tão grandioso e belo, tem de viver na clandestinidade?
    Não percebo! Não faz sentido , um amor tão forte, não pode nem deve ser escondido!

    Quando li o título pensei logo na Ana Plácido e em Camilo Castelo Branco...:)

    Parabéns pelo poema, Amiga. Está sublime!

    Beijinhos descobertos e em liberdade!:))

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Janita

      A ideia que está subjacente a este poema e que eu quis transmitir é a de que, independentemente das razões que levam muitos amores à clandestinidade, eles podem ser tão puros e belos como todos os outros.

      Obrigada pelas tuas palavras, amiga, pois elas sabem-me a abraços quentes!
      Beijinhos livres de preconceitos
      (^^)

      Eliminar
  15. E olhando lá longe e bem no fundo, os seus olhos curiosos se fixavam na vista de um inconformado e revolto rio de paixão, que brotava daquele misterioso jardim

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Porfírio

      Há paixões indomáveis que são tal e qual descreves no teu jeito poético.


      Beijinhos curiosos
      (^^)

      Eliminar
  16. A clandestinidade tem tanto de sedutor como de agoniante. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Essência

      Costuma-se dizer que os filhos não vêm com livro de instruções... e neste caso eu adapto dizendo que os amores também não! :)


      Beijinhos serenos
      (^^)

      Eliminar
  17. O fruto proibido.. É o nosso Karma. Muito bem visto e melhor ainda descrito.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Tio

      Pois... coitada da Eva... caem-lhe sempre as culpas em cima! :))


      Beijinhos sem culpas
      (^^)

      Eliminar
  18. O amor proibido ele vem junto com a paixão.
    É um amor mais forte!
    Lindíssimo poema,parabéns.
    Bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Nelma Ladeira

      Concordo contigo. Amor e paixão... estes sentimentos juntos são arrebatadores!
      Obrigada :)

      Um beijinho
      (^^)

      Eliminar
  19. Adorando tudo por aqui
    ja seguindo deixo
    bjins
    de bom sabado.
    Catiaho Alc.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Catiaho

      Obrigada! Sê bem vinda aos Jardins :)
      Tudo de bom!

      Eliminar
  20. O amor é sempre clandestino! :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rosa

      Deixaste-me a pensar nas tuas palavras...
      E acho que posso concordar com elas na medida em que o amor entre duas pessoas requer um mundo à parte, só seu e sem intromissões do exterior.


      Beijinhos em privado
      (^^)

      Eliminar
  21. Olá,
    O amor proibido é sempre o mais apetecível, o que é secreto dá mais motivação e prazer.
    Abraço Publico
    ag

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. António

      Não será assim tout cours... isso que dizes são mais clichés do que outra coisa, pois se repares bem, não é preciso que um amor seja secreto para se tirar dele mais prazer. O que muitas vezes acontece é que há casais que passam uma vida inteira juntos sem se preocuparem em tirar o verdadeiro prazer da relação que têm. Porque nem sempre "a galinha da vizinha é melhor que a minha"!

      Beijinhos sem penas
      (^^)

      Eliminar
  22. Esse amor clandestino e que nunca mais acaba lembra-me o Pedro e o Paulo. Depois há um outro, que é feito às claras...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rui Pascoal

      hehehehe
      És sempre o mesmo! Um verdadeiro agent provocateur!!
      Se queres saber... já tinha saudades tuas :)


      Beijinhos claros clarinhos como água cristalina
      (^^)

      Eliminar
  23. Minha querida, se o amor fosse só isso
    eu já tinha levado sumiço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rogério

      Tu e as tuas rimas deliciosas...!
      Mas sejam em rimas ou prosas,
      As tuas palavras são sempre acarinhadas
      Neste Jardim onde as amizades são estimadas.


      Beijinhos com estima
      (^^)

      Eliminar
  24. Belíssimo poema. Não conhecia esta tua faceta, provavelmente andava distraído.
    Beijinho e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Lynce

      Conhecias sim, não é propriamente novidade para ti... já leste noutros espaços coisas escritas por mim, escritos que podes encontrar aqui de novo.
      Se te quiseres dar à pachorra, procura a etiqueta "coisas minhas"...


      Beijocas em ti, sempre novas... e portadoras de votos de boa semana!
      (^^)

      Eliminar
  25. O amor clandestino tem algo de especial, o outro amor é demasiado previsível.
    Adorei a canção da Natalie MacMaster. Linda!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Manuel

      Desculpa responder-te com quase 14 meses de atraso...
      Estou agora a recuperar/reeditar alguns posts esquecidos no tempo para lhes dar outro brilho e poder também agora responder aos comentários que naquela altura ficaram sem resposta.

      A Natalie vai possivelmente aparecer por aí um dia destes... pois a minha alma celta também adora aquele violino! :))


      Beijinhos atrasados
      (^^)

      Eliminar
  26. Concordo plenamente, colocou perfeitamente as frases!
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Evandro

      Obrigada, para ti também.
      Tudo de bom.

      Eliminar
  27. Muito bonito!! Gosto e concordo!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Graça

      Então em boa hora escolhi reeditar este post! :)
      Obrigada! :)

      E o post da Ematejoca? Esse sim, está lindíssimo!
      Beijinhos e bom Domingo
      (^^)

      Eliminar
  28. Afrodite:

    Um amor clandestino
    é um grande desatino
    cria-nos uma ilusão
    e acaba em confusão :)

    Agora a sério gostei do teu poema e gosto de Leonard Cohen
    beijinho e boa semana



    ResponderEliminar
    Respostas



    1. Leonard Cohen é maravilhoso! Aquela voz derrete-me todinha! :)))


      Beijinhos amiga, e boa semana para ti também
      (^^)

      Eliminar
  29. Adorei este teu poema! Não te conhecia esta veia poética! Parabéns.
    Se me autorizares ainda o levo para o meu canto da poesia, com a informação que vai daqui, claro.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ju

      Obrigada :)
      Eu escrevo muito pouco... porque os momentos de inspiração são raros!
      Se quiseres, podes clicar na etiqueta "Coisas minhas" e encontrarás outras coisas escritas por mim.

      Autorizo, claro... para mim é uma grande honra! :)


      Beijinhos poéticos
      (^^)

      Eliminar
  30. Voltei atrás para ler e ver o amor clandestino!
    Gostei de ler o poema. Os amores clandestinos, não os conheço. Não tenho opinião. : ))

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Catarina

      Mesmo que não conheçamos algo por não o vivenciarmos, não quer dizer que não possamos especular ou poetizar sobre o assunto. Foi o que eu fiz! :-)


      Beijinhos à descarada
      (^^)

      Eliminar
    2. Ahahah! O que escrevi não teve qualquer conotação maliciosa! Quem comenta não tem necessariamente de conhecer estes amores clandestinos. : ))) Suponho que na altura em que escrevi o comentário não quis especular sobre o assunto, talvez.... nem sei!

      Eliminar

    3. Gostei da tua gargalhada! :D

      Passa (no post de hoje) pelo anúncio do Fiat 500X... já deves conhecer... mas se não conheceres, vais voltar a rir! :))

      Eliminar