sexta-feira, 2 de maio de 2014

POESIA DE Mª TERESA HORTA...



A VAGINA


É cálida flor
e trópica mansamente
de leite entreaberta às tuas
mãos


feltro das pétalas que por dentro
tem o felpo das pálpebras
da língua a lentidão


Guelra do corpo
pulmão que não respira


dobrada em muco
tecida em sua água


Flor carnívora voraz do próprio
suco
no ventre entorpecida
nas pernas sequestrada.




Maria Teresa Horta in "Os Anjos", 1983


a ouvir... 

9 comentários:

  1. Intenso!

    A minha poetisa predilecta!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito de Mª Teresa Horta!
    E que bem ilustrado está o poema!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. A Rosa, o Poema e a Música penso que tudo está em perfeita sintonia !

    ResponderEliminar
  4. Um poema que derruba os tabus e deixa livre a palavra e o sentido que ela desperta,
    E prazeroso também!
    abraços Afrodite

    ResponderEliminar
  5. Poema a flor! Uma harmonia perfeita!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. A vagina é, sim, uma flor a um tempo doce e voraz... Maria Tersa Horta sabe escrever o amor e o desejo carnais de forme exímia!

    Beijinhos Marianos, Afroditezinha! :)

    ResponderEliminar
  7. Virgem orgão entalado
    Antre as coxas que há em ti!
    Gruta doce em meu palato,
    Iludes os meus sentidos,
    Nos espasmos do prazer,
    A vida começa ali!

    ResponderEliminar
  8. Se juntarmos a sexualidade e a poesia, temos então a super mulher! :)

    Adoro Maria Teresa Horta!

    Obrigada.

    ResponderEliminar