quinta-feira, 22 de maio de 2014

DIREITO À INDIGNAÇÃO!! :((


Quem me conhece minimamente sabe que tento ser uma pessoa tolerante e o mais ecléctica que consiga.
Mas há coisas que não consigo engolir e chego mesmo a ser intolerante com a estupidez, com o ódio, com a violência, com a crueldade e com a injustiça.

Podia fazer como tantas e tantas vezes faço... ignorar, dar desprezo, manter-me na minha habitual forma de estar e não fazer ondas...
Mas desta vez não consigo calar a minha indignação ao aperceber-me de que há no nosso país quem use a música como veículo de violência e propaganda à anarquia...

Não vou dar aqui tempo de antena a quem não o merece, este espaço florido é a minha casa e aqui só quero mostrar coisas belas. Mas se alguém quiser saber porque estou tão indignada, pode ir ler ESTE artigo e este POST da Helena Sacadura Cabral. Muitos dos comentários que lá se podem ler espelham bem o meu sentimento. 


Como contraponto ofereço-vos um poema de Eugénio de Andrade... onde se fala de uma certa urgência...

URGENTEMENTE


É urgente o amor 
É urgente um barco no mar 

É urgente destruir certas palavras, 
ódio, solidão e crueldade, 
alguns lamentos, muitas espadas. 

É urgente inventar alegria, 
multiplicar os beijos, as searas, 
é urgente descobrir rosas e rios 
e manhãs claras. 

Cai o silêncio nos ombros e a luz 
impura, até doer. 
É urgente o amor, é urgente 
permanecer. 

Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã"


a ouvir... 

39 comentários:

  1. Pensei que estava a ficar tolinha...achei muito estranho nem um só eco nos blogs (pelo menos nos que acompanho...) sobre este disparate...

    É urgente....jinhoooossssssss

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Suri

      Disparate, dizes bem... o pior é o rastilho incendiário que um disparate destes provocar!
      Dizem os antigos que "em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão"... e com o nosso país a atravessar uma grave crise social e económica, a escalada de violência pode ser de facto uma dura realidade.


      Beijinhos de paz em ti

      Eliminar
  2. Ontem vi o vídeo do primeiro single que mostra Adolfo Luxúria Canibal de revólver em punho em balcões bancários, em São Bento, no Palácio de Belém ou no Campus de Justiça e fiquei como tu INDIGNADA!!!

    Houve por aí tantos amigos virtuais que fizeram tanto barulho por causa da Conchita Wurst, e não abrem a boca para criticar este vídeo, só porque o Canibal mata os inimigos políticos.

    É UMA VERGONHA!!!

    Abração da amiga de sempre, Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Teresa

      Estamos em igual circunstância, também vi ontem um bocado do vídeo (confesso-te que não o consegui acabar de ver) e fiquei sem palavras. A violência na nossa sociedade está a tomar proporções desmedidas e o incitamento a ela é completamente inadmissível.


      Beijinhos e obrigada pelo teu abraço minha Amiga!

      Eliminar
  3. Sem desrespeitar a tua opinião, sabes que a arte é apenas uma representação, a arte (neste caso, a música) é livre. Não deve ser interpretada literalmente. Por ex., Eugénio de Andrade: podia revelar-te realidades da sua vida muito pouco abonatórias para ele, e contudo o poema dele é belo...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Gata

      Conheço muito pouco da vida do poeta... e da sua privada muito menos. Afinal, não é o que cada um faz na sua esfera privada que está em causa... mas sim o incitamento público à violência da forma mais crua possível.
      Se isso é arte? Pois... afinal tudo pode ser arte!! Não faltam filmes violentos a passar nas nossas televisões todos os dias.
      Se concordo com esse tipo de arte!? Não e não! E enquanto eu tiver um sopro de voz continuarei a dizer NÃO.


      Beijinhos para ti, gostei de te rever nos meus Jardins
      (^^)

      Eliminar
  4. Inadmissível. Um advogado a cantar letras destas?

    Permite-me que responda à 'ematejoca', para lhe dizer que tendo eu levantado a voz contra a tal Conchita, já fiz o mesmo em relação a este 'mão mais que morta'. Mais, enviei um mail à produtora e insurgi-me à minha maneira.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Observador

      Obrigada meu querido, pelo teu testemunho. Tu tens outros meios de te moveres e manifestares que a maior parte de nós não tem.
      Tu és um homem da acção e estou-te grata pelo teu comentário.


      Beijinhos vivos em ti

      Eliminar
    2. Não me estava a referir ao Observador!!!

      Eliminar
  5. Cara amiga Afrodite!
    Sou solidário a sua exasperação!
    O que importa é que seu sempre bem cuidado, perfumado e florido Jardins sempre nos brinda com publicações que não nos deixam indiferentes!
    Vamos em frente...
    Caloroso abraço! Saudações solidárias!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Obrigada querido Professor João Paulo.
      A sua solidariedade é de grande importância para mim.


      Beijinhos a olhar em frente
      (^^)

      Eliminar
  6. Sou completamente contra a violência gratuita e não costumo perder tempo a comentar coisas que, para mim, não têm nexo, como é o caso. Mas desta vez, pelo impacto que criou esta música/poema (?), vou comentar.

    Não me parece correcto, independentemente, dos gravíssimos problemas que atravessa a sociedade portuguesa e o Mundo, que seja a violência, a solução para as injustiças, bem antes pelo contrário.

    Quando nascemos vimos ao Mundo todos, basicamente, da mesma maneira e com a mesma origem. Somos, pela primeira vez, campeões, na corrida para a fecundação de um óvulo, e não é aí que a nossa vida fica comportamentalmente definida.
    A influência genética (?), a educação, a formação, a moral, o convívio e o comportamento, são muitas das coisas que nos levam a adquirir a condição de ser humano, como mais ou menos respeito pelos outros pelos nossos pares.

    Quem somos nós para tirar a vida a alguém ? Religiosameente essa tarefa cabe ao Deus, de cada um de nós.

    E somos melhores se o fizermos, ou passaremos a ser exactamente iguais aos assassinos ou aqueles que a troco de dinheiro nos marterizam no exercício da governação e do poder material ?
    Não nos podemos esquecer que se um dia estivermos na situação de alguém que governa, se calhar faremos, exactamente a mesma coisa ou pior. Será ?

    Temos constitucionalmente "armas" que podemos utilizar para não deixarmos que sejam eleitos aqueles que não queremos que o sejam.

    Hoje primamos pelo mediatismo e infelizmente, o negativo. É preciso ser diferente, para chamar a atenção e para se conseguirem sucessos comerciais que nos são exigidos no meio musical, teatral, do espectáculo e das artes, no geral.
    Acho que este CD/Teledisco dos "Mão Morta" é a tentativa de virem de novo para a ribalta ter sucesso comercial, porque passaram de moda. Não ?

    Este poema de Eugénio de Andrade nunca precisou de publicidade e singrou pelos tempos e em vez de fomentarmos estes disparates, deveríamos fomentar, como ele diz, o amor. O Amor entre os povos ajudando o próximo que muitas vezes mora ao nosso lado e que não nos apercebemos, ou não queremos aperceber, das suas dificuldades.

    Temos todos de pôr a mão na nossa consciência e pensar se o nosso comportamento e atitude são os certos. Serão ?

    Estes do grupo "Mão Morta" estão totalmente ERRADOS !!!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ricardo

      O teu comentário é um verdadeiro tratado. Bem hajas pela tua pachorra e por partilhares aqui a tua opinião.


      Beijinhos solidários

      Eliminar
  7. Sinceramente, não me choca nada! O estilo punk é assim. A mim a música soa-me bem e sou totalmente contra a violência (como verás pelo meu blogue, nem sequer como carne, de tal modo sou contra a violência!). Para mim é evidente que não pretendem matar ninguém, nem ver mortos e feridos. Violência, para mim, é despedir, obrigar pessoas a emigrar, aumentar preços num país com um salário mínimo ridículo, sacar reformas a velhos, etc etc...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. M.

      És uma felizarda então. Gostava de ser como tu... mas as minhas células não me deixam tolerar tremendo disparate. O incitamento à violência é intolerável, independentemente de tudo. Eles próprios dizem que "Nunca fizemos outra coisa senão catalisar a raiva das pessoas"!...
      Mais palavras para quê?


      Beijinhos para ti também.
      (^^)

      Eliminar
  8. Olá,
    Por enquanto estes (des)governantes e o cavaco ainda não conseguiram acabar com o direito à indignação e á contestação, sobre a banda em questão, existi ao vivo no estádio seculo 21 (José Alvalade) foi uma desilusão, esta banda de musica nada tem, tentam arranjar polemica, talvez assim, é a forma de serem comentados, parece que estão a conseguir.
    Tenho que lhe dizer que não vale a pena ficar indignada com partículas minorcas do universo, comparado ao que se tem feito aos portugueses nestes últimos 3 anos em favor da grandes fortunas que não param de aumentar, para os mais ricos houve benefícios ficais superior a mil milhões, pergunto, "qual foi o seu beneficio fiscal? quanto aumentou a sua fortuna? seu ordenando aumentou?" eu fico indignado por eu e as pessoas como eu sermos considerados uns meros números, e os seguintes apoiantes do PSD e CDS que são considerados portugueses,
    1. Américo Amorim: 4503,6 milhões de euros (vs. 1955,9 milhões em 2012, quando estava em segundo no ranking)
    2. Alexandre Soares dos Santos: 2190,3 milhões de euros (vs. 2070 milhões de euros em 2012, era primeiro no ranking)
    3. Família Guimarães de Mello, 1673 milhões de euros (vs. 700,1 milhões de euros em 2012, terceiro no ranking)
    4. Belmiro de Azevedo: 1210,7 milhões de euros (vs. 680,9 milhões de euros em 2012, mantém quarto lugar no ranking)
    5. António da Silva Rodrigues: 642, 9 milhões de euros (entrada directa no top 10)
    6. Fernando Figueiredo dos Santos: 574,9 milhões de euros (vs. 542,3 milhões de euros em 2012, em que ocupava o 8.º lugar)
    7. Maria Isabel dos Santos: 574,9 milhões de euros (vs. 542,3 milhões de euros em 2012, em que ocupava o 9.º lugar)
    8. António Mota: 537,8 milhões de euros (entrada directa no top 10)
    9. Família Alves Ribeiro: 505,2 milhões de euros (vs. 650,8 milhões de euros em 2012, quando estavam no 5.º lugar)
    10. Maria do Carmo Espírito Santos Silva: 497,4 milhões de euros (entrada direta no top 10)

    Para o cumulo da Indignação, as pessoas comuns que votam na direita ao lado destes senhores poderosos acima referidos, estão convencidos que os interesses são igualzinhos.

    Que se lixe os Mão Morta perante isto.


    Tenha um dia calmo e feliz

    ag

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. António

      Na verdade não falta com o que nos indignarmos!!
      Simplesmente eu deixo a política sempre fora da porta da minha casa. Este post não é um post político, fala de algo que está muito para lá desses circos... fala do repúdio pela violência e pela anarquia que alguns, aproveitando-se do direito à liberdade de expressão, usam e abusam.


      Tudo de bom para ti também.

      Eliminar
  9. AAAAAHHHHHHHHHH! Minha indignada! Estou contigo!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Obrigada "Maria"
      O teu apoio é precioso para mim.


      Beijinhos calmos e sonhadores
      (^^)

      Eliminar
  10. Li vagamente qualquer coisa no facebook mas nunca abri para ouvir...só o título me incomodava!
    Hoje no DN, pela crónica de Ferreira Fernandes, fiquei a conhecer um pouco melhor a parte visual da música!
    Procuro proteger-me de coisas demasiado violentas...por muito indignada que esteja com a situação que estamos a viver!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Rosa

      Também faço muitas vezes o mesmo que tu... talvez por cobardia, talvez por auto-preservação tento fugir daquilo que sei que me vai fazer sofrer. Não tenho jeito nenhum para masoquista! :)


      Um beijinho solidário
      (^^)

      Eliminar
  11. Todos temos direito à indignação assim como os outros o têm.
    Direitos extensíveis ao respeito, tolerância e por aí fora.

    Indigna-te, mas nunca te esqueças do essencial, o que realmente importa nesta vida.

    Beijinhos


    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Margarida

      Concordo contigo.
      E a palavra VIDA que usaste encerra em si o que realmente importa: a vida em si própria.


      Um beijinho

      Eliminar
  12. Apesar de tudo...Eugénio...sempre...

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Maria do Sol

      Sim, mas pode ser Eugénio ou outro qualquer poeta que fale de AMOR. Afinal é dele que este blogue fala. :))


      Beijinhos de luz
      (^^)

      Eliminar
  13. Respostas

    1. Sabes Inês, ontem quando vi esse vídeo (ou parte dele) fiquei mesmo incomodada. Aproveitei para chamar a atenção do meu filho para os perigos da manipulação de mentes e do uso absurdo da violência. Hoje ao jantar, este foi de novo tema de debate.
      Quando cogitei a hipótese de fazer um post sobre a indignação que senti ainda pensei duas vezes e achei melhor não. Pois... isto é o que eles querem, que se fale bastante, querem uma grande audiência! Disse para mim mesma que não ia compactuar com esse esquema. Mas hoje este assunto continuava a envenenar-me... e não consegui ficar passiva. Já me conheces há muito... sabes que sou low profile e que não costumo "comprar brigas"! Mas desta vez decidi exercer o meu direito à indignação.


      Obrigada Minha Querida ♥

      Eliminar
  14. :((( Absolutamente chocante e revoltante ! :(((
    A "liberdade", não pode ser confundida a este ponto !
    Não consigo responder no mesmo tom a "esta gente" ignóbil ! ...
    Sou tolerante, condescendente, revolta-me, choca-me, mas sinto-me incapaz de odiar ao ponto que "esta gente" frustrada, violenta, irrascível, odeia,… odeia, … odeia ! :((
    O que me irrita, é que "esta gente", que apregoa a democracia e que “impõe” que ela seja seguida, é incapaz de aceitar e praticar as suas "regras" !
    Os que se julgam e apregoam mais "democratas", são na realidade, de facto, os mais intolerantes, os mais violentos e cruéis e os menos democratas !
    As “suas regras” são a “democracia” da sua própria mente suja, a “democracia” daquilo que afinal é apenas o que elas próprias gostavam que fosse, a “democracia” dos seus interesses próprios e não a da maioria e a da Constituição da República, que exigem seja seguida pelos outros, mas não por si próprios ! :(
    Tal como Eugénio de Andrade, acho que é urgente, muito urgente muita coisa, na mudança destas mentalidades fascistas e sentir mais amor, compreensão, tolerância, alegria, moderação.
    .

    ResponderEliminar
  15. Ainda não ouvi. Li qualquer coisa no jornal, mas não liguei. Não há que nos deixarmos chocar por parvoíces destas. Deixa andar! Não deve prestar para nada portanto ninguém vai comprar. Há muitos, muitos anos atrás, ainda no tempo da ditadura, havia um programa na rádio em que passavam discos muito maus e no fim o locutor dizia: «Este é intocável mas não é inquebrável!» e depois ouvia-se o som de quem quebrava o disco que era de vinil. Este deve ser dos «intocáveis mas não inquebráveis»... Não te enerves, Frô, e continua a mostrar-nos e a dar-nos coisas bonitas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Não precisei de ir ler, porque sei a quem e a que te referes. Também acho de muito mau gosto ( embora não tenha chegado a indignar-me, porque há coisas, como a indiferença face à fome- que me indignam muito mais).
    Hoje, vale tudo para vender. A culpa nem sempre é dos artistas, mas dos agentes de marketing. Comentário adicional. Há anos entrevistei o Adolfo e pareceu-me uma pessoa muito simpática e civilizada, embora um pouco extravagante.
    Beijinhos sem indignação

    ResponderEliminar
  17. Prefiro falar de Eugénio e do seu genial génio,
    Nunca gostei de bandeiras negras nem costumo ligar aos excessos da publicidade, trazem sempre "água no bico", e por aqui me fico...

    ResponderEliminar
  18. Já tinha reparado em tal absurdo...
    Só tenho medo que mentes mais susceptíveis, façam de uma música sensacionalista, dum grupo em pré reforma, um êxito. infelizmente, em Portugal "tudo é possível"!!

    Beijinhosssssssss*********************

    ResponderEliminar
  19. ...por acaso volto... volto para dizer que hoje, no DN, havia 2/3 de página dedicado a "isto" e, ontem, uma pequena meia coluna dava noticia do lançamento de "Tierra Alantre" novo disco dos "Ronda dos Quatro Caminhos"... Somos (somos mesmo) a cultura que os media promovem...

    ResponderEliminar
  20. Acho revoltante e inconsequente! Deixa-me perplexa e revoltada só nos resta esperar que não se torne um exito!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Digo não a quem incita à violência, digo que é uma vergonha!
    Ainda não tinha visto o vídeo, fiquei triste .
    Um beijo em ti :)

    ResponderEliminar
  22. O Mão Morta e o género de música que tocam nunca me disse nada, mas respeito quem goste.
    Não esqueçamos que há uma cultura de heavy metal importantíssima a nível global e que agrega milhões de seguidores.
    Sendo que o que está aqui em causa é a apologia da violência, não contem comigo!
    (apesar de muitos dos que aparecem no clip, merecerem no mínimo estar "dentro").

    Beijinho

    ResponderEliminar
  23. Apesar de viver fora de Portugal a cerca de 11anos, estou mais ou menos a par do que se passa,
    sou e serei sempre contra a violencia, mas será caso para dizer que o que ele canta e o video mostra, é provavelmente o sentimento profundo dentro de cada Portugues, mas talvez mais daqueles que sofrem o dia a dia, com o desemprego, saude, etc;
    Espero que Portugal não chegue ao ponto um segundo 25 de Abril, mas sinceramente, para lá caminha.

    ResponderEliminar
  24. Não te queria chocar minha querida amiga, mas não acredito que o país volte a ser do povo sem que haja um banho de sangue na burguesia que nos oprime e submete à condição de fantoches, desde o dia que nascemos até ao dia em que morremos.

    No entanto devo também dizer que não acredito na violência como forma de solucionar problemas, visto que conduz a arrependimentos, mas neste caso sou tremendamente pessimista.

    Um beijinho e desculpa

    ResponderEliminar
  25. Não ouvi. Por mim não terá audiência.

    ResponderEliminar