sexta-feira, 6 de setembro de 2013

PORQUE O GOZO TAMBÉM É POESIA...



Foto de Aleksander Shevchenko



(Gozo VII)

São as tuas nádegas
 na curva dos meus dedos

 as tuas pernas
 atentas e curvadas

 O cravo – o crivo
 sabor da madrugada
 no manso odor do mar das tuas
 espáduas

 E se soergo com as mãos
 as tuas coxas
 e acerto o corpo no calor
 das vagas

 logo me vergas

 e és tu então
 que tens os dedos
 agora
 em minha nádegas



MARIA TERESA HORTA




12 comentários:

  1. Humm. Mas a foto revela-nos que as nádegas e a mão pertencem à mesma pessoa. (Pronto. Lá tinha eu que estragar tudo. eheheh!)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Luciano

      hehehe
      Não estragaste nada... já que o objectivo é mesmo esse... causar reacção! :)
      Se fosse a levar o poema à letra, uma só fotografia não chegava!


      Beijinhos consertados
      (^^)

      Eliminar
  2. Um momento!
    Vou ver se está por aqui alguém :):):)

    A sério. A poesia de Tereza Horta é para lá de interessante.

    Beijos poéticos.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Observador

      É interessante sim... mas tem de se ler com parcimónia... porque faz muito calor!! (lol)


      Beijinhos em prosa
      (^^)

      Eliminar
  3. Cara confrade Afrodite!
    A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse-me que ficou com palpitantes exacerbadas, arrepios, calor intenso e sôfrega para oferecer os disputadíssimos agrados da Agrado, conhecidos até nos confins do Deserto de Gobbi, para o primeiro Adônis que aparecer na cabine nº 5 do vagão do Expresso do Oriente, sob meu comando, depois que leu este poema, que também deixou este reles escrevinhador outonal e insulso professorzinho primário aposentado de cabelo em pé e propenso a visitar o Convento das Redentoras Humilhadas!
    Falando no Convento, recomendo que minha idolatrada deusa das deusas de todas as deusas, a inigualável Afrodite, faça uma nova visita aquele recinto profano, porque chegaram novas postulantes e noviças...
    http://joaopauloinquiridor.blogspot.com.br/2013/07/convento-das-redentoras-humilhadas_25.html
    A irmã Selma mandou-lhe a bênção:
    https://www.youtube.com/watch?v=0nr3-heqZcI
    Caloroso abraço! Saudações imaculadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  4. Uma poetiza que adoro.

    O seu poema Joelho é dos meus preferidos.

    No gozo há sempre poesia...mesmo quando ,apenas sorrimos...olhamos...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Elisa

      Há uns dias atrás falámos dela, lembra-se?... e hoje, ao ter de escolher um poeta para publicar, lembrei-me da promessa que lhe fiz... e aqui está a poesia da Mª Tereza Horta. Este é apenas o primeiro poema dela aqui nos Jardins... mas mais virão.


      Beijinhos com dedicatória
      (^^)

      Eliminar
  5. Fabuloso!
    Que sensualidade...gozada!

    ResponderEliminar
  6. Uma poeta da sensualidade! Extraordinária!

    ResponderEliminar
  7. http://www.youtube.com/watch?v=JEzTsq5vZ-4

    ResponderEliminar
  8. Adoro esta escritora.

    Bom gosto.

    beijo

    ResponderEliminar
  9. Sensualidade em verso.
    Muito bonito!

    ResponderEliminar